14

maio.2014

APP revisa Código de Ética

A APP – Associação dos Profissionais de Propaganda – apresentou nesta quarta-feira, 14, em São Paulo, uma revisão complementar ao Código de Ética dos Profissionais de Propaganda, desenvolvido em 1957, aprovado no congresso da categoria. O documento recebeu o nome de “Normas de orientação ética do profissional da propaganda”.

A revisão realizada sob a supervisão de Ênio Vergeiro, presidente da APP; e do diretor executivo da APP, o advogado Antônio Toledano, tem como objetivo atender as atuais exigências do setor, que passou entre outros aspectos, pela revolução dos meios de comunicação desde que o Código foi lançado.

De acordo com Ênio Vergeiro, a revisão se faz importante para se adequar às questões que antes ainda não estavam em voga como, por exemplo, assuntos em relação a sustentabilidade, ecologia e meio ambiente. “Antes não se falava sobre isso e outras questões como o racismo também”, diz.

O advogado e diretor executivo da entidade, Antônio Toledano, conta que a ideia de fazer esta revisão começou a ser estudada pela entidade em setembro do ano passado, no entanto, o documento dó começou a ser produzido em dezembro. Toledano explica que o Código de Ética dos profissionais de propaganda está vinculado a Lei 4.680 de 1963, que dispõe sobre a regulamentação da profissão e os sistemas de remuneração, portanto não pode ser mudado, a não ser que a Lei seja alterada. “A nossa ideia é apresentar essas normas como forma de atualização e complementação”, declara.

Thiago Borges, Diretor de Planejamento da Agência Pulso e Diretor de Tecnologia e Inovação da APP Brasil, também esteve lá.

A APP está disponibilizando o documento via site da entidade e também estará entregando cópias impressas para profissionais e outras entidades que congregam o mercado de publicidade.

 

Fonte: Meio&Mensagem

 

O que você procura?

Não perca nenhum conteúdo