16

abril.2013

Como escolher uma Agência Digital

Confira dicas para não errar na hora de contratar uma agência digital

“Como faço para escolher e contratar uma boa agência digital?”

Ao mesmo tempo em que as empresas entendem cada vez mais a importância dos Canais Digitais dentro de seu planejamento de comunicação, relatam que está cada vez mais difícil escolher a agência “parceira” ideal. Nada mais “normal”, uma vez que segundo a APADi, só no estado de São Paulo, em 2009, já eram mais de 800 empresas que se declaram como “Agência Digital”, divididas em portes e especialidades diferentes.

Com base nas dúvidas mais comuns que ouço diariamente, elaborei um roteiro de dicas práticas para ajudar na escolha de uma agência digital. O processo realmente não é tão simples e são muitas variáveis e particularidades envolvidas, mas acredito que após leitura, as chances de uma contratação desastrosa serão mínimas.

Lembre-se: quem escolhe a agência (certa ou errada) é o cliente. Por isso vale a pena investir tempo e esforço para não errar na escolha do parceiro que certamente vai estar com você por anos e será responsável pela principal forma de comunicação com seus clientes.

Espero que goste e fique a vontade para perguntar, sugerir e comentar!

Vamos lá:

Defina e explique claramente como será o processo de escolha da Agência

É importante começar a relação com o futuro parceiro de forma transparente. Deixe claro como será o processo de escolha, informe quantas agências estão participando e passe a ele o máximo de informações que puder de sua necessidade. Caso seja uma concorrência, é importante ter uma metodologia clara de avaliação / gestão do processo. Você também pode utilizar o guia de concorrências digitais feito pela APADi. Evite comparar mais de cinco agências sob o risco de não conseguir administrar o processo e perder qualidade na escolha.

Sempre que possível, informe o Budget disponível

Informar a faixa de valor de investimento para a ação é um ponto muito positivo. Assim você pode avaliar de forma mais específica qual agência pode atendê-lo melhor dentro da verba disponível. Sem isso, certamente você vai receber propostas com enorme variação de escopo e valor, dificultando a avaliação e diminuindo as chances de uma boa escolha.

Fique tranquilo, uma agência séria vai sempre buscar oferecer a maior qualidade possível dentro das possibilidades.

Obs: se a agência disse que não consegue atendê-lo dentro da verba, valorize a atitude. Pior é quando a agência baixa a qualidade ou coloca o projeto na mão de juniores só para não perder o cliente…

Fuja de agências digitais que evitam Reuniões de Apresentação

Obviamente existem exceções, mas em linhas gerais se a agência não quis “gastar tempo” fazendo uma reunião de apresentação a você e sua equipe antes de “assinar o contrato”, pode não estar vendo relevância em seu projeto. Se a verba é suficiente e o desafio é interessante, é natural que ela se dedique e esforce para conquistá-lo logo no início do processo.

Se possível, visite a agência e conheça sua estrutura

Nada melhor do que uma visita para conhecer de perto as pessoas e o ambiente. Não estou sugerindo que seja avaliada sua estrutura física, mas sim o ambiente em geral. Se o lugar é “alegre”, as pessoas estão felizes e a aparência em geral é boa, certamente é um lugar legal para se trabalhar e todos estão motivados e encorajados para serem criativos e encarar desafios.

Equipe: fique atento ao perfil dos profissionais que vão coordenar seu projeto

Durante o processo de escolha, pergunte qual o perfil das pessoas que coordenarão o projeto e avalie sua formação e experiência. Infelizmente muitas vezes agências que trabalham com preços abaixo do mercado ou que ainda não estão “maduras” colocam profissionais juniores para “liderar” projetos.

Importante: Não estou afirmando que uma equipe não deva ter, por exemplo, estagiários. Estou dizendo que é fundamental ter no time profissionais experientes.

Filiação e relacionamento com a ABRADi, APADi e outras entidades

No mercado digital, existem entidades sérias que tem como objetivo ajudar na evolução e consolidação do mercado digital. Entre elas destacamos a APADi (Associação Paulista de Agências Digitais) e a ABRADi (Associação Brasileira de Agências Digitais), que tem atuação séria e forte. Apesar de não ser uma regra, certamente uma agência filiada a uma delas tem maior compromisso com o mercado digital e deve ser valorizada.

Entendimento do problema / diagnóstico

Se durante as primeiras conversas a agência:

– Não perguntou especificamente sobre seu problema antes de dar uma solução;
– Não quis saber sobre seu mercado e área de atuação;
– Não navegou e analisou seus canais digitais atuais;
– Não demonstrou um discurso antenado e atualizado em relação ao mercado digital atual e futuro;

Desconfie, pois uma agência digital tem obrigação de se esforçar para entender ao máximo sobre você, seu mercado e suas expectativas, afim de entregar uma proposta justa e assertiva e consequentemente realizar um bom trabalho.

Não dê a solução, dê o problema

Uma agência competente pode e deve ajudá-lo a resolver problemas (comerciais, estratégicos, de posicionamento ou outros) de forma pró-ativa. Se você der para agência a solução antes de contar seus problemas, estará perdendo uma ótima chance de ouvir da agência suas ideias e ponto de vista além de chegar a uma estratégia que realmente vai ser adequada e resolver o seu problema.

Fique atento: uma boa agência deve questioná-lo e buscar a melhor solução estratégica junto com você e não sair fazendo tudo que você manda.

Foco na mensagem e não nos recursos

Tecnologia boa não resolve problemas de comunicação ruim. Uma boa agência deve estar atenta a tudo: da compreensão e diagnósticos dos “problemas” do cliente, passando pelo planejamento das ações, criação de peças e conceitos e só então pensar em qual a tecnologia adequada. A agência que foca seu discurso somente em criação ou em tecnologia, deixando de lado o foco nas mensagens que a ação deve passar, provavelmente não tem a visão 360º necessária para encarar os desafios da comunicação moderna. Infelizmente ouço muita gente reclamando de projetos e ações “bonitinhas”, mas que não resolveram problema algum.

Seu projeto é ousado? Então exija experiência

Quanto mais ousado o projeto maior é a necessidade de checar se a agência digital realmente tem experiência comprovada para atendê-lo de forma satisfatória. Avalie projetos anteriores, pergunte sobre cases, sobre conhecimento do mercado digital e sobre tudo mais que achar necessário. Obviamente ninguém é obrigado a saber tudo, mas estar antenado e ter experiência comprovada é fundamental para ações de marketing digital efetivas.

Preços Baixos x Preços Justo: fique atento (e muito) com preços baixos…

Faça as contas. Será que agência que cobra metade (ou às vezes um décimo) do valor praticado pelo mercado consegue pagar profissionais qualificados e dedicados, nas diversas áreas necessárias em marketing digital? É injusto generalizar, mas em geral quanto menor o preço praticado, menor e mais júnior é a equipe, sendo que muitas vezes a mesma pessoa que, por exemplo, atende você no telefone, faz a criação e programação das ações. Planejamento? “Ah, é só fazer o que o cliente mandar…”

Obs: você pode encontrar uma ótima referência dos valores praticados pelo mercado de São Paulo no manual de serviços digitais da APADi.

Devo escolher uma Agência Especialista ou Fullservice?

Uma agência Especialista tem suas habilidades todas voltadas para uma atividade em especial. São exemplos as que trabalham exclusivamente com SEO (otimização para buscadores como o Google) ou com SEM / Links Patrocinados (publicidade no Google, Facebook, Linkedin ou outros) ou com administração de redes sociais. Se enquadram melhor em demandas específicas e que requerem alto desempenho.

As Fullservice se propõem a atender o cliente em diversos pontos, inclusive nos citados acima. Algumas vezes conta com o trabalho de terceiros, o que é absolutamente normal desde que garanta e se responsabilize pela qualidade final de tudo. São mais adequadas a empresas que precisem de uma orientação “mais ampla” e voltada para uma comunição mais 360º.

Não existe perfil certo ou errado, mas é importante definir um deles e exigir qualidade e compromisso, afinal é seu projeto que está em jogo.

Não tente colocar agências, produtoras e freelancers “na mesma cesta” para comparação

São perfis bem diferentes. Um freelancer (freela) normalmente vai atendê-lo bem no que ele é bom, mas dificilmente vai conseguir atendê-lo bem em um plano completo de marketing. Já uma produtora tende a ser especialista em um determinado assunto e dedica todo seu esforço para entregar da melhor forma possível o que se propõe, isentando-se de saber o planejamento macro de sua empresa para atrelar ao projeto. São exemplos produtoras de Games ou Aplicativos para Celulares, que executam projetos maravilhosos (muitas vezes em parceria com uma agência). Já as agências tem como principal missão pensar e administrar toda sua comunicação integrado com o planejamento da sua empresa, diagnosticando planejando ações, pesquisando, criando e se comprometendo com resultados e prezando por um relacionamento de longo prazo.
É muito importante entender que “colocá-los na mesma cesta” e comparar seus valores e propostas pode levar a escolha do parceiro errado.

Obs: Não existe perfil melhor ou pior, somente o mais adequado, mas neste artigo o tema principal é a contratação de uma agência.

Peça a indicação de alguns clientes e ligue

Uma agência digital confiante não verá problema em fornecer o contato de alguns clientes para que você converse com eles. Na verdade a agência provavelmente vai gostar e encarar como mais uma oportunidade de mostrar que realmente é competente e se compromete com resultados.

Cuidado com “Casa de ferreiro espeto de pau”

Como está a presença digital da agência? Ela tem um bom site? Está nas redes sociais? Interage com os visitantes? Está tudo condizendo com o que ela prega?

A vida de uma agência realmente é “corrida”, rs, mas nada justifica ter um site totalmente desatualizado e cheio de problemas e posicionar-se com antenada, vanguardista e detalhista.

Avalie Portfólio e Cases da agência

É importante avaliar atentamente os trabalhos feitos pela agência, tanto os que estão em seu site quanto alguns que não estejam. Peça para a agência contar sobre desafios, dificuldades superadas, ideias diferentes e outras curiosidades e particularidades. Um bom portfólio é um ótimo indicativo de um ótimo potencial para trabalhos futuros.

Cheque como anda a “saúde” da agência

Nada pior do que começar um projeto importante com uma agência parceira e ela sumir do mapa três meses depois. Seja por que foi vendida, por que quebrou ou por qualquer outro motivo. Certifique-se de que terá um parceiro próximo e de confiança por um bom período.

Peça um layout somente se for relevante para o processo

Uma agência pode ser extremamente competente mas naquele momento não topar ou até mesmo não conseguir criar um layout de qualidade para uma concorrência não deve ser um fator decisor para prosseguir com o processo. Pode acontecer também da agência ter um imenso potencial criativo mas devido ao tempo curto estipulado, criar algo “bonitinho” mas inadequado.

Se realmente for fundamental pedir um layout, estabeleça critérios claros e justos de avaliação para todos os concorrentes.

E fique atendo: por mais que seja tentador, definir a vencedora a partir de um layout “prévio” pode eliminar sua melhor candidata.
Existem dezenas de outras dicas que eu poderia sugerir (muitas mesmo) mas nada garante de fato a escolha da agência perfeita.
De forma resumida, converse bastante, seja sincero, deixe claro suas intenções e objetivos e não pense “só com o bolso”.
E não se esqueça, o sucesso de suas ações de Marketing começar na escolha da agência!

Thiago Borges atua no mercado digital desde 1998. Atualmente é Diretor de Planejamento da Agência Pulso além de ministrar palestras sobre tendências digitais e, é Diretor de Inovação e Tecnologia da APP Brasil (Associação dos Profissionais de Propaganda).

O que você procura?

Não perca nenhum conteúdo