07

março.2014

Criatividade e quadrinhos são temas de palestras

Seguimos com a série de palestras durante o café da manhã dos Pulsábios, às sextas-feiras. E hoje contamos ainda com a presença do nosso amigo e cliente, Raul Valentim, da loja virtual Tecnoferramentas.

Roger Figo, nosso Diretor de Arte, falou sobre criatividade. De onde ela vem e como ele a usou durante a sua vida pessoal e profissional, e o quanto ela o ajudou a começar a trabalhar na Agência Pulso, aos 25 anos. Hoje, com 28, ele tem certeza de que ama o que faz. “Criatividade não é um dom, é uma habilidade que todos nós temos, basta sabermos desenvolvê-la”, disse.

Natural de Santos, e santista fanático, começou com um sonho de ser jogador de futebol, depois quis ser skatista, músico, até que começou a trabalhar como designer em uma gráfica local e se interessou de fato por isso. Formado em Publicidade e Propaganda pela Universidade Santa Cecília, se especializou em Direção de Arte na ESPM, e tem como hobby o futebol, seja assistindo ou jogando, a música, seja tocando ou ouvindo, e comer. Sim, comer é um dos hobbys favoritos dele, quem duvida pode acessar seu Instagram. Ah, confira também seu perfil profissional no LinkedIn.

Gabriela Borges apresentou o tema de sua tese de mestrado: a representação da mulher nas historias em quadrinhos. Nossa Diretora de Conteúdo e Mídias Sociais morou quatro anos na Argentina entre 2009 e 2013, onde trabalhou, entre outras experiências, como Correspondente Internacional do SBT. Em Buenos Aires, ela cursou um mestrado em antropologia. “Essa disciplina tem tudo a ver com o jornalismo. Ou melhor, com o entendimento das organizações sociais, algo muito importante para quem trabalha com comunicação em geral”, explicou.

Em sua dissertação, Gabi analisa os personagens femininos nas historietas argentinas desde o século XX, o espaço que se dá ao trabalho de cartunistas mulheres e como questões sobre gênero são reproduzidas nas publicações de quadrinhos. Seu objeto de estudo é a Revista Clítoris, uma publicação independente que se propõe a desconstruir esses estereótipos sexistas e visibilizar o trabalho das mulheres por meio de uma abordagem feminista. Seu trabalho de campo foi realizado como observação participante, ou seja, Gabriela trabalhou efetivamente como jornalista na revista enquanto fazia suas pesquisas, e publicou dois artigos na Clítoris: uma matéria sobre o trabalho em conjunto que o cartunista Adão Iturusgarai e fazia com sua mulher, a argentina Laura Ballés, na tira Roupa Suja, publicada no jornal Folha de São Paulo; uma entrevista com Laerte Coutinho, um dos gênios dos quadrinhos brasileiros, que há alguns anos assumiu seu lado feminino e hoje é um dos nomes mais importantes da luta pelos direitos dos transexuais no Brasil. Confira o LinkedIn da Gabi também!

O que você procura?

Não perca nenhum conteúdo