03

novembro.2016

Educação versus Tecnologias Digitais

Muita gente familiarizada com internet e ambientes digitais acredita que as escolas e universidades também já estão mergulhando plenamente no mundo digital. Mas não é bem assim. Ainda temos um longo caminho pela frente, principalmente enquanto os envolvidos na educação enxergarem os dispositivos, como o celular e tablet, como “inimigos” do aprendizado em sala de aula.

Mas, em minha opinião, o pleno envolvimento de novas tecnologias na educação é só uma questão de tempo. A tecnologia digital está presente e não tem volta. As instituições de ensino estão cada vez mais investindo em tecnologias que façam sentido para os alunos e facilite a vida dos docentes.

Dispositivos e Ambientes Digitais como Aliados

Aparentemente, o que falta muitas vezes é a habilidade e conhecimento dos professores para usar dispositivos (ferramentas) como celular e tablet para facilitar a vida de todos.

Acredito que a maioria dos portais de universidades têm uma área fechada com login (registro do aluno) e senha para consultar notas e faltas, por exemplo. Mas, claro, dá para ir muito, muito além. Imagine o professor, a partir de seu smartphone, instalar um aplicativo, se autenticar no sistema da universidade e já lançar as presenças e faltas da chamada? E as notas das provas e trabalhos? Isso é só a ponta do iceberg.

Um Case de Sucesso

Parece bem interessante automatizar e ganhar tempo com todo esse trabalho, não é mesmo? Recentemente, a Agência Pulso desenvolveu e entregou dois aplicativos para a Universidade Moura Lacerda: um para os alunos e outro para os docentes, tudo integrado diretamente com o Protheus, da Totvs,  via webservices. É possível consultar notas, faltas, agenda do semestre, solicitar re-matrícula e ler notícias sobre a universidade.

Paralelamente, é feito todo um  trabalho de marketing digital através do portal, redes sociais e SEM (links patrocinados). Afinal, apenas a ativação de novos canais não basta. É preciso um trabalho contínuo de inbound marketing para poder criar uma conversa próxima entre as personas (nesse caso específico alunos e professores) e em seus diversos momentos: os que não conhecem a universidade, os que já conhecem e não estudam ou trabalham e os que já estudam ou trabalham lá.

Como citei no início, é apenas questão de tempo. Hoje já não temos praticamente separação entre online e offline no nosso dia a dia. Os processos estão cada vez mais automatizados e para quem não tem medo de inovar é uma baita oportunidade.

O que você procura?

Não perca nenhum conteúdo