07

agosto.2015

Filmes para assistir no Dia do Documentário Brasileiro

Hoje é o Dia Nacional do Documentário Brasileiro. Para comemorar, preparei uma lista com cinco documentários premiados internacionalmente, que você não pode deixar de assistir. Preparados? Em suas marcas… GO!

 

Cabra marcado para morrer
Do aclamado documentarista brasileiro Eduardo Coutinho, “Cabra marcado para morrer” iniciou suas gravações em meados dos anos 60, mas foi interrompido em 64 pelo golpe militar. Parte de sua equipe foi presa, acusada de comunismo, e o restante dispersou-se. O documentário abordou a vida de um líder camponês, João Pedro Teixeira, que foi assassinado por ordem de latifundiários poderosos no Nordeste. Depois de 17 anos, o trabalho foi retomado e Coutinho procurou a viúva Elizabeth Teixeira e seus dez filhos, contando a história de cada um deles, espalhados pela repressão do regime militar ao longo dos anos. O documentário levou o prêmio FIPRESCI no Festival de Berlim em 1985.



“Fé”, de Ricardo Dias, fala sobre a diversidade de religiões que se estendem por todo o país. Crenças, seitas, cultos e religiões aferam diferentes aspectos da vida de milhares de pessoas no Brasil. O documentário é o primeiro que enfoca a relação do brasileiro com a fé e divindade (s). O filme foi premiado na França como o melhor do Festival de Biarritz.

O dia que durou 21 anos
“O Dia que Durou 21 Anos” é um documentário do brasileiro Camilo Galli Tavares lançado em 2012. Ele conta sobre a participação do governo dos Estados Unidos na preparação do golpe de estado no Brasil, em 1964. Levou o prêmio de  Melhor Documentário Estrangeiro no StTropez International Film Festival, na frança.

Mataram meu irmão
De Cristiano Burlan, “Mataram meu irmão” (2013) foi vencedor do 18o Festival Internacional de Documentários: É Tudo Verdade. O filme fala sobre o assassinado do seu irmão, Rafael Burlan, no bairro do Capão Redondo, com sete tiros, em 2001.

O Sal da Terra
O documentário “O Sal da Terra”,  tem direção conjunta do premiado diretor alemão Wim Wenders e do brasileiro Juliano Ribeiro Salgado. O longa mostra as viagens do aclamado, e considerado um dos melhores fotógrafos da atualidade,  Sebastião Salgado. Um dos objetivos do documentário é revelar como se desenvolve o  trabalho singular de Sebastião. Foi indicado ao Oscar de melhor documentário, recebeu o Prêmio do Júri na seção Un Certain Regard do Festival de Cannes 2014 e também o César como melhor documentário.

O que você procura?

Não perca nenhum conteúdo