16

abril.2009

Quero um website para minha empresa. E agora?

Você procura por criação de site para sua empresa e sai à procura de agências digitais, freelancers, sobrinhos. Encontra diversas opções de desenvolvedores e preços. Quanto você acha justo pagar por um site? R$ 1.000,00? R$ 3.000,00? R$ 300,00? Essa dúvida existe desde que a internet começou a ser explorada comercialmente. A melhor maneira que consigo fazer com que as pessoas entendam um pouco da métrica usada para calcular o valor de um site é comparando à compra de um carro. Por que você quer um carro?

  • Para passear nos finais de semana?
  • Para trabalhar na rua visitando clientes?
  • Para viajar longas distâncias?
  • Para trabalhar como taxista?
  • Para disputar corridas?

Entender a necessidade do website em relação ao seu negócio ajuda muito a alcançar objetivos e evitar aborrecimentos. Já pensou comprar um Uno ano 89 a álcool (sem ar condicionado, claro!) para viajar por um mês pelo Brasil a fora? Ou então comprar um carro preparado para Stock Car, com motor seis cilindros (rendimento de pouco mais de 3km/litro) para trabalhar na rua visitando clientes? Caso você não entenda muito de carros ou de sites, antes de adquirir um, parece prudente pedir a opinião de um especialista. Onde comprar o carro? Você pode escolher um modelo 0 km um uma concessionária, com três anos de garantia.

Pode comprar um semi-novo em uma agência de veículos, com garantia de três meses no câmbio e motor. Pode procurar em algum classificado e comprar de um particular pagando menos, mas sem garantia pós-venda. Durante o desenvolvimento de um website, você precisará de suporte. Vai querer saber como está o andamento do projeto, se o prazo está dentro do combinado e se a qualidade está satisfatória. Depois de entregue, precisará de testes e alguns ajustes inevitavelmente. Ao escolher o sobrinho como responsável pelo seu site, é difícil ter uma noção sobre o padrão de qualidade. Provavelmente ele ainda não tem um portfólio.

Ele pode atrasar o projeto por estar em semana de prova na escola ou por causa de um feriado prolongado com a galera na praia. Um freelancer tem portfólio, mesmo que seja apenas acadêmico. Isso passa segurança em relação à qualidade. Mas pode ser que tenha uma semana difícil e seja convocado a fazer hora extra a semana inteira. Ou pior, pode sofrer uma tendinite e precisar que engessar o braço! A agência com certeza não é a opção mais barata. Desconfie se for! Você pode acessar a lista de projetos do portfólio da agência digital e ver os sites desenvolvidos. Acesse os sites dessas empresas e ligue para elas. Pergunte sem medo: “Como foi sua experiência com a agência que desenvolveu seu site?”.

Outra vantagem do desenvolvimento em equipe é que, caso alguém fique doente ou tenha um contratempo, o projeto não para. Outro webdesign pode continuar o desenvolvimento do site. Comprei o carro. Onde abasteço? E a manutenção? Financiamento aprovado, documento do carro em seu nome. Ótimo! Agora é preciso mantê-lo e o custo depende diretamente da qualidade das peças e da utilidade. Estacionamento, IPVA, seguro obrigatório, combustível. O combustível de um site é seu conteúdo.

O servidor de hospedagem é o estacionamento, assim como a taxa de anuidade do registro de domínio pode ser comparada ao seguro obrigatório.  A “qualidade das peças” pode ser medida no momento que for preciso expandir um serviço, criar uma nova seção ou adequar alguma coisa que não esteja dando o resultado esperado. E quem comprar um site necessitará, de quebra, de algumas estratégias de marketing, otimização do site para o Google (SEO), relacionamento com os usuários do site, análise de audiência… trabalho! Mas não desanime. Conhecendo e respeitando as necessidades do seu negócio, suas chances de sucesso são muito boas!

O que você procura?

Não perca nenhum conteúdo