16

janeiro.2019

Links Patrocinados ou Social Ads? Quem converte mais?

Muitas vezes, o orçamento apertado coloca as empresas na bifurcação de onde colocar o dinheiro: links patrocinados ou social ads?

As redes sociais têm um potencial incrível de engajamento, compartilhamento e o poder mágico de reter a atenção das pessoas, mas nem sempre trazem clientes que realmente querem comprar.

Os Sites de busca são os principais meios de pesquisa para quem já está com a intenção de compra, mas nem sempre atraem os compradores que ainda não sabem o que querem comprar.

No meio da guerra de mídias, é complicado achar um ponto de equilíbrio, mas a boa notícia é que existe um caminho do meio, e com a ajuda de uma agência de Marketing Digital experiente, como a Pulso, esse caminho não é tortuoso.

Links Patrocinados ou Social Ads?

Só é possível dizer qual é a melhor opção para cada empresa com estudo de caso e planejamento. Estudar, pensar as alternativas e definir os objetivos de cada mídia. Depois disso, entregar o detalhamento de onde colocar o dinheiro, de fato.

Porém, de antemão, conseguimos expor alguns fatores determinantes que podem dar uma luz na hora de escolher os caminhos de mídia a se seguir.

Vamos colocar algumas considerações importantes nessa questão: links patrocinados ou social ads?

A Página no Facebook e o Site devem andar juntos.

Independentemente de onde a empresa vai focar seus esforços (leia-se dinheiro), no Google ou nas redes sociais, dentro das prioridades está o “arrumar as casas”.

Investir em um bom site, com responsividade e navegabilidade para celular é imprescindível, por outro lado, não ter uma página em rede social é inimaginável, já há alguns anos.

Sem um site bem estruturado e um estudo de palavras-chaves, os patrocínios viram um pesadelo e os gastos com anúncios acabam sendo em vão, além de gerarem um desconforto ao usuário que pode ser levado a um conteúdo irrelevante ou pior: não conseguir efetuar uma compra, por conta de má funcionalidade, por exemplo.

O mesmo serve para as Redes Sociais, uma página bem alimentada, com conteúdo relevante, fotos e vídeos interessantes que mostram o jeito da marca se comportar, certamente terão um engajamento muito mais forte e, consequentemente, irão ampliar o raio de ação do Marketing e dos Social Ads.

Em resumo, não chamamos ninguém para nos visitar se nossa casa está bagunçada, certo?

Google Adwords

O lado positivo dos Links patrocinados do Google Adwords, por exemplo, é que eles contam com a vantagem de usar a palavra-chave buscada pelo usuário e portanto estão sempre alinhados ao que o cliente quer. Raramente uma campanha de adwords bem feita, deixa a desejar em relação à conversão.

Além disso, ter todo o seu conteúdo concentrado numa plataforma própria traz mais confiança na hora de investir. Sua Plataforma, suas regras.

O lado negativo é que se o potencial cliente não buscou pela palavra-chave determinada, o anúncio nunca será visto e a empresa perde a chance de convencer quem ainda não está pensando em comprar.

Facebook Ads

Nos patrocínios das redes sociais, como o Facebook Ads, através da segmentação, há uma distribuição bem específica e o impacto pode ser enorme, principalmente nos consumidores mais compulsivos, ou seja, aqueles que nem sempre estão procurando por algo específico para comprar ou aguardando o momento ideal.

Além disso, o Facebook dá a oportunidade de deixar o anúncio mais atraente com fotos e vídeos, tornando a mídia mais suave e mais persuasiva do que um texto publicitário chapado na página branca.

O lado negativo é que, diferentemente do link patrocinado, os Social ads pegam o potencial cliente no susto, pegam alguém que ainda não pensou em comprar e tem árdua tarefa de converter, claro que os anúncios bem feitos são direcionados de acordo com o interesse do usuário, porém, ainda assim existe uma “invasão”.

Além disso, corre-se sempre o risco de mudança de regras das redes sociais, e até mesmo de desaparecimento, como já aconteceu com várias redes, como Orkut, e ultimamente o Google+, que teve seu fim decretado pelo Google até abril de 2019.

Como a Agência de Marketing Digital resolve a equação?

O trabalho de planejamento da Agência de Marketing Digital deve definir qual a melhor opção para cada empresa claramente, mas é importante pensar que não é necessário escolher um ou outro.

Um não elimina o outro, pelo contrário, num cenário ideal, numa proposta de Inbound Marketing coesa, os dois devem andar de mãos bem dadas.

Aqui na Pulso, tudo é feito baseado no comportamento das pessoas. Nossa equipe de Mídia e Performance trabalha sempre no equilíbrio gerado pelo planejamento.

É claro que as redes sociais são canais de suma importância para distribuição de conteúdo e relacionamento da marca, mas a instabilidade das mídias sociais nos mostra que elas também podem ser frágeis e estão sujeitas à mutação do usuário, que amanhã pode não se engajar mais.

Concluindo, uma estratégia de Marketing sólida deve sempre ter o pé firme na hospedagem dos conteúdos na plataforma da própria empresa, o site, um portal, um blog, porém sem nunca desmerecer o potencial das Redes Sociais.

Somente com essa fusão entre links patrocinados e social ads, o investimento da sua empresa estará sempre protegida pela Transformação Digital e não à mercê dela.

O que você procura?

Não perca nenhum conteúdo